O que fazer se o seu automóvel for apanhado por inundações...

Inundacoes

1 – Como primeiro ponto, depois do seu automóvel ter estado mergulhado em água, não o tente ligar. É tentador rodar a chave e verificar se o carro ainda funciona, só que o mais provável é que ainda exista água no motor e, se assim for, accionar a ignição poderá danificá-lo irremediavelmente.

Na eventualidade da água ter inundado o motor, acredite que o melhor que tem a fazer será providenciar para que o seu carro seja rebocado para uma oficina.

2 – Determine o nível a que a água chegou, algo que poderá calcular a partir da linha que a lama e os detritos terão deixado tanto no exterior quanto no interior do veículo. Assim, se o nível da água ficou abaixo da parte inferior das portas, tudo irá certamente correr bem para o seu automóvel. Ao invés, caso a água atinja a parte inferior do painel de instrumentos no habitáculo, o mais certo é que as seguradoras considerem que estamos perante um caso de perda total.

3 – Procure consultar a sua companhia de seguros ou o seu mediador o quanto antes, isto porque depois da inundação propriamente dita, a sua seguradora será certamente “inundada” por questões e pedidos dos respectivos segurados, pelo que será conveniente avançar com o seu processo logo que possível.

4 – Ultrapassada a questão dos contactos formais a efectuar, procure secar o interior do seu automóvel. Se a água ficou no habitáculo, os danos poderão ser consideráveis pelo que deverá abrir as portas e janelas e colocar toalhas no chão para absorver a água ainda existente. Ainda assim, o mais certo é que precise de substituir componentes como tapetes, painéis das portas e estofos, mas antes isso do que ficar sem carro.

5 – Verifique o nível do óleo e o filtro do ar. Se você vir gotas de água na vareta do óleo, se o nível do óleo se apresentar demasiado elevado ou se o filtro de ar tiver água, nem tente ligar o motor. Nestas circunstâncias, encontre uma forma de rebocar o automóvel até uma oficina onde possam mudar os fluidos do mesmo, permitindo uma limpeza adequada e completa.

6 – Verifique todos os sistemas eléctricos. Se o motor parece estar em condições para voltar a funcionar, não o faça ainda assim antes de uma pequena inspecção aos componentes eléctricos e à boa resposta dos diferentes sistemas. O funcionamento dos faróis, piscas, ar condicionado, som, janelas e até mesmo as luzes interiores, tudo deverá estar a funcionar devidamente.

7 – Após uma inspecção cuidada ao seu veículo, e se notar qualquer problema, por pequeno que seja, avance para uma oficina e verifique devidamente o estado do veículo. Lembre-se que os danos poderão inclusivamente estar cobertos pelo seu seguro automóvel, sendo importante que conheça devidamente as cláusulas do mesmo.

8 – Verifique o estado do veículo junto às jantes e pneus. Antes de tentar mover o carro, procure detritos alojados nas rodas, travões e parte inferior da carroçaria. Trave sempre o veículo com o travão de estacionamento e confirme da sua eficácia antes de avançar para inspecção do estado das rodas.

9 – Em caso de dúvida, considere a perda total do seu automóvel e a consequente substituição. Um carro danificado por cheias ou inundações poderá trazer-lhe diversos problemas meses ou menos anos após o acidente pelo que se as dúvidas subsistirem após todas as verificações deverá considerar a respectiva troca. Terá que fazer um investimento para a troca por um novo automóvel, mas será uma forma de evitar dores de cabeça futuras e gastos posteriores de maior volume.

10 – Última recomendação vai no sentido de que tenha o maior cuidado ao negociar automóveis, ou mesmo meros componentes de automóveis, que tenham sido afectados por inundações. Muitos carros dados como “perdidos” por via de inundações acabam por ser limpos e revendidos em aparente “bom estado”. Também por isso, nunca deixe de efectuar uma análise cuidada no momento de comprar um automóvel usado, devendo fazê-lo sempre que possível a partir de uma origem devidamente certificada.

Nota final: Se vive em zonas susceptíveis de serem consideradas como áreas de cheias ou inundações, mantenha alguma atenção aos avisos do Instituto Português do Mar e da Atmosfera para a possibilidade de fenómenos extremos e considere, pelo menos nessas situações, o estacionamento do seu automóvel em locais elevados, evitando garagens mais profundas ou locais de cota reduzida que possam ser facilmente alagados. Afinal, como sempre, prevenir é sempre mais fácil do que remediar!

Facebook

Twitter

Wednesday the 19th. | Home | Joomla 3 Templates Joomlaskins